terça-feira, 15 de abril de 2008

Brasil exporta espiãs para combater corrupção

Dois meses depois de uma ausência desavisada, este blog retorna com boas justificativas para quem se interessa. A cobertura semanal fidedigna dos fatos que movimentam a política brasileira foi abandonada em função de uma reportagem investigativa especial que demandou jornadas internacionais a lugares onde o homem jamais esteve. Tudo começou quando a famosa fonte misteriosa do caso Watergate, conhecido como “Deep Throat”, fez uma revelação exclusiva ao Vírgula Dois.

Havia indícios de que o Brasil montou durante os tempos de ditadura militar uma agência secreta financiada pelas mais brilhantes mentes do exército, que até hoje está ativa, atuando não só em território nacional, como também em outros países. O objetivo, por incrível que pareça, é garantir a manutenção da democracia e desbaratar esquemas ilícitos de desvio de dinheiro público. Mas o detalhe que chama mais atenção é a estratégia usada nas operações.

Para manter o sigilo e não dar bandeira, a agência utiliza apenas mulheres altamente treinadas, com beleza física singular, produzidas em laboratórios equipados com tecnologia de ponta. O cultivo é feito dentro de uma parceria secreta com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), no escritório Labex, em Beltsville, nos Estados Unidos. A equipe de repórteres do blog, então, começou a investigar o caso e descobriu que o Brasil estava até exportando os exemplares femininos.

Todos os detalhes dessa reportagem especial serão divulgados aqui em uma série de posts ao longo dos próximos meses. Por enquanto, o Vírgula Dois adianta que muitos episódios históricos envolvendo políticos foram arquitetados pela agência brasileira. Desde Mônica Lewinsky até Mônica Veloso, várias mulheres foram escaladas nas operações, incluindo o mais recente episódio em Nova York, que resultou na renúncia do governador Eliot Spitzer. Dessa vez, a agente secreta levou o nome germânico de Andrea Schwartz.

7 comentários:

Fábio Mayer disse...

E depois de longos anos de bons (no caso dela ótimos) serviços, a agente espiã é repatriada e arranja-se um contrato de revista masculina para esconder sua real profissão.

* hemisfério norte disse...

olá!
apareceu e não diz um Olá?'!?!?!?!
reabri hoje os contos
e agora escrevo às 3ª 5ª e sábados num blogue, como convidada (Silvio Vasconcelos me convidou). Espero que goste e faça seus comentários.
http://miniminimos.blogspot.com/
obrigada e 1 bj
a.

Andréa Motta disse...

Boa noite! Vim conhecer seu blog e convidá-lo a participar da blogagem coletiva COISAS DO BRASIL, em 16 de maio. A idéia é cada um escrever, em seu blog, sobre aquilo que represente a cidade brasileira onde mora ou nasceu, a fim de que, juntos, mostremos a riqueza cultural do nosso país. Estou convidando a todos, até mesmo os brasileiros que residem no exterior; o importante é mostrarmos que o Brasil é um misto de culturas e saberes. Conto com a sua adesão!

Luma disse...

Quero saber dessa série de reportagens! Os elementos são ótimos; poder, mulher bonita, intrigas...rs.
Seja bem-vindo!! Beijus

Mary West disse...

Opá! Espiã? É esse o novo nome dessas "moças" ? No meu tempo eram conhecidas como outra coisa, mas achei interessante vc voltar o caso p/ as conspirações. São mais divertidas.

Va.nes.sa disse...

oi,
eu fico meio assim de responder comentário em blog dos outros, mas tudo bem.
na verdade, aquilo era (ainda é o.o) uam historinha que eu tava publicando no blog em capítulos, aí no post em que vc comentou eu tinha juntado todos os capítulos publicados até agora. ainda continua.
virar livro? xD bem difícil :P é um desgosto danado, eu gosto de fazer em manuscritos, sabe, aí eu escrevo um testamento e na hora de digitar me sai um parágrafo...>< enfim,
agradecemos sua visita, e volte sempre.

Anônimo disse...

muito bom este blog