terça-feira, 5 de fevereiro de 2008

De político e louco, todo goleiro tem um pouco

O mais novo adepto do ditado parodiado é o popular goleiro do São Paulo Rogério Ceni, que pretende concorrer nas eleições municipais deste ano ao cargo de prefeito de Pato Branco, sua cidade natal no interior do Paraná. A investida política foi fruto de uma conversa com outros dois companheiros de profissão que também não se limitaram a proteger o gol em suas carreiras no futebol. A reunião contou com a presença de um quarto elemento, escolado no assunto.

Conhecido pelas defesas espetaculares e a cabeleira quase tão bela quanto do colega Carlos Valderrama, o colombiano René Higuita anunciou que deseja chegar ao Senado em seu país com um discurso socialista de admiração ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, e pela libertação dos reféns das Farc. Já o polêmico paraguaio José Luis Chilavert, escolhido por duas vezes o melhor goleiro do mundo, disse, por várias vezes, que será presidente de seu país, o que pode se concretizar nas eleições deste ano.

A vontade de entrar para a política atingiu Rogério Ceni durante o programa Roda Viva, da TV Cultura, pouco antes da reeleição de Lula em 2006. Na ocasião, o goleiro do São Paulo disse que votaria em Geraldo Alckmin, pois não concordava com os rumos que o governo petista estava dando ao país. Na entrevista, ele percebeu que não era difícil ir além das tradicionais frases que incluem expressões como “levantar a cabeça”, “ganhar os três pontos” e “treinar para a próxima partida”.

Mas quem era o quarto elemento no encontro? Um goleiro que marcou a história do futebol sem ser artilheiro e trilhou o caminho da política depois de se aposentar dos gramados. Trata-se de João Leite, o maior arqueiro de todos os tempos no Atlético Mineiro, onde jogou por 15 anos. Foi vereador, deputado estadual e candidato a prefeito de Belo Horizonte por duas vezes. A orientação do experiente político das Minas Gerais aos outros três colegas foi simples: “sejam atletas de cristo”.

Em terra de candidatos como o atacante Viola e a bandeirinha capa de Playboy, Ana Paula Oliveira, Rogério Ceni não se intimida. Quer ser o sucessor do atual prefeito de Pato Branco, Roberto Viganó. O apoio que o goleiro precisava na candidatura virá de outra celebridade futebolística que nasceu na cidade, o atacante Alexandre Pato, jogador do italiano Milan. As propostas políticas ainda não foram traçadas e podem nunca existir, mas alguém duvida de mais uma vitória de Ceni?

8 comentários:

Fábio Mayer disse...

E o pior é que se elegem... aqui no Paraná, o eleitorado é pródigo em eleger curiosidades...

MARCO ANTONIO disse...

Gostei do texto. Bom e divertido.

Quando eu era criança, o pior jogador ia sempre para o gol. Será que o mesmo acontece com os políticos?

Bruna disse...

Oi Pedro,

Ué, depois que eu ouvi que a Bruna Surfistinha tinha eleitorado pra se eleger, nenhum futuro candidato vai me surpreender ...
Obrigada pela visita, sou jornalista quase formada.:)

Beijos

mãe global disse...

Olá Pedro,
Como sempre, me divirto muito por aqui. Tem sempre uma notícia fresquinha...adorei essa!
Beijos,
Rosana

luma disse...

Pedro, passando rapidinho para te lembrar da blogagem coletiva! Esqueceu?? Ainda tem tempo! Beijus

PobreVirtual disse...

parabéns pelo blog. Tenho acompanhado e gostado cada vez mais .... Acabei me tornando um visitante.
vc está de parabéns...
Tenho um site (www.PobreVirtual.com.br) e vários blogs...
agradeceria sua opnião sobre meus posts e site...
Coloco-me a disposição, caso precise de algo...

Albergaria disse...

Grande Pedro Ivo!!!
olha, me amarrei no seu blog e você disserta muito bem, sendo assim, poderíamos de repente trocar banners, o que acha? se quiser me adicionar no msn pra trocarmos uma idéia: fabiano692003@yahoo.com.br.
Agora falando do Ceni... nada mais me surpreende depois que o Clodovil foi eleito rs
Abração

mãe global disse...

Pedro,
Tem um selinho pra você lá no blog. Passa lá!
Bjs,
Rosana