sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Popularidade e mulheres na pauta dos governantes

O presidente francês Nicolas Sarkozy receberá visita do colega brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva no dia 12 de fevereiro, na Guiana Francesa, colônia do país europeu que fica no limite com o Amapá. Oficialmente, o encontro servirá para tratar sobre o controle da fronteira e as pretensões geopolíticas do Brasil como emergente falastrão que pleiteia um lugar no Conselho de Segurança da ONU.

Porém, este blog apurou junto a fontes seguras que a popularidade será o principal tema da reunião, que também deve contar com a presença de outros gestores públicos brasileiros e internacionais. Depois de anunciar o namoro sério com a ex-modelo italiana Carla Bruni, Sarkozy vem amargando uma enxurrada de críticas e a insatisfação do povo francês.

O presidente Lula, que, atualmente, é aprovado por cerca de metade do eleitorado brasileiro, teme que sua popularidade despenque quando anunciar a esposa Marisa Letícia como candidata na sucessão de 2010. Outro participante já confirmado no pequeno seminário é o governador playboy presidenciável, Aécio Neves, que engatou um namoro com a Miss Brasil, Natália Guimarães.

O mineiro também está com um pé atrás para confirmar o romance com a mulher mais bonita do país justamente por causa da popularidade. O principal palestrante será o senador Renan Calheiros, que falará sobre os perigos da mistura entre mulher e política, contando detalhes sobre seu relacionamento com Mônica Veloso, que aproveitou o escândalo para escrever um livro e posar nua em uma fracassada revista Playboy.

Um dos convidados ainda não confirmados é o ex-presidente estadunidense Bill Clinton, que fará a palestra “Como superar um caso com a secretária e incentivar a carreira política de sua esposa”. As inscrições para o seminário estão abertas. Para participar, basta ser um profissional com cargo público e problema com mulheres e popularidade. Clique aqui para enviar seus dados.

3 comentários:

* hemisfério norte disse...

ahahaha, gostei deste post.
Pedro, tem conto novo
Beijinhos e bom final de semana
a.

Lê disse...

Parabéns pelo blog, está muito bacana. Um espaço que realmente incita a reflexão. Veículos como esse devem ganhar popularidade para estimular o pensamento crítico em relação à política, que em nosso país anda meio adormecido. Nada melhor que relembrar o Binômio (que muito nos inspirou, né?!) e utilizar da ironia como instrumento de crítica. Apesar de não ter acompanhado seu blog desde o início, agora suas matérias também me viciaram. Eu adorei!

E já que o assunto é mulheres e política, uma sugestão para reflexão, quem sabe: No panorama político mundial a atuação feminina parece ganhar força, principalmente com a ocupação de mulheres em postos mais altos do governo. São exemplos já citados nesse blog a eleição de Cristina Kirchner como presidente da Argentina e a candidatura de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos. Mas essas duas mulheres, que entraram em contato com a política como primeira-dama, têm por trás de suas candidaturas os maridos ex-presidentes. Será que parte da confiança dos eleitores está apoiada no fato de que em face de qualquer dificuldade, o auxílio do marido é garantido? Por outro lado, há a presidente do Chile, Michelle Bachelet, e, aqui no Brasil, a governadora Yeda Crusius (RS), eleitas por mérito próprio. Ainda assim, falta confiança nas mulheres? Marisa Letícia (xará!) irá provar que tem força própria? Fica a dúvida...

No mais, “ao redor do buraco tudo é beira”! Tenho dito!

Beijos da sua pequena notável.

mãe global disse...

Pedro,
Adorei a idéia das palestras, vai ter muito político se inscrevendo. Acho que estão aderindo ao que algumas grandes estrelas do futebol já fazem. O problema é que algumas mulheres acabam com a carreira deles.
Beijos,
Rosana